Jornalistas repudiam comunicadores da Rádio Clube FM após ofensas ao vivo a professoras

Por - 24 de março de 2022

Categoria, sindicatos e movimentos sociais também farão um ato público nesta sexta-feira, 25, no Centro de Vitória da Conquista, em resposta aos ataques machistas e misóginos ocorridos na emissora.

Nesta quinta-feira, 24, jornalistas de Vitória da Conquista emitiram uma nota de repúdio aos comunicadores Washington Rodrigues e Humberto Pinheiro, da Rádio Clube FM, após ofensas ao vivo a professoras.

Elenilda Ramos e Greissy Leôncio, dirigentes do Sindicato do Magistério Municipal Público (SIMMP), foram silenciadas e interrompidas, de forma truculenta, durante uma tentativa de entrevista ao Programa Sudoeste Agora.

Por meio da nota, os profissionais da imprensa destacaram o fato da emissora, por intermédio dos dois radialistas em questão, ter se tornado “palco de disseminação de mentiras a respeito de diversos temas”. Além disso, no documento, a categoria repudiou o “uso ideológico da rádio em favor da extrema direita, de cunho fascista, machista e racista”.

Além dos jornalistas, outras entidades e movimentos sociais já manifestaram apoio às professoras e criticaram duramente o episódio que ocorreu na Rádio Clube FM.

Nesta sexta-feira, 25, um ato público será realizado contra os ataques misóginos e machistas proferidos pelos apresentadores. O Fórum Sindical e Popular propõe a concentração às 8h, em frente à Câmara Municipal de Vitória da Conquista.

Confira abaixo a nota dos jornalistas na íntegra:

Na terça-feira, 22 de março, fomos surpreendidos com a truculência e misoginia dos apresentadores da Rádio Clube FM, Humberto Pinheiro e Washington Rodrigues, contra as diretoras do Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista (SIMMP), Elenilda Ramos e Greissy Reis. Este não é um caso isolado de machismo e ataque ao gênero feminino nos meios de comunicação do município. Atos misóginos atacam diretamente a nossa categoria, formada por muitas mulheres que estão, principalmente, no processo de produção.

Com relação à Rádio Clube, é de conhecimento da sociedade conquistense que, nos últimos anos a emissora, por intermédio desses dois comunicadores, virou palco de disseminação de mentiras a respeito de diversos temas, sobretudo ligados à saúde, defesa de medicamentos sem comprovação científica para suposta cura da covid-19; ataques ao jornalismo profissional; uso ideológico da rádio em favor da extrema direita, de cunho fascista, machista e racista; atitudes antidemocráticas, com ataques velados às instituições do país, sobretudo ligadas ao sistema eleitoral, dentre outras atuações repugnantes, dignas da rede de extremistas da direita que realizam por todo o país ações de ataque ao trabalho dos jornalistas e ao sistema democrático, com flerte até com o neonazismo.

Tal histórico de atuação não poderia resultar em outra forma na entrevista que as professoras Elenilda Ramos e Greissy Leôncio, respectivamente presidente e vice-presidente do Simmp, tentaram dar à rádio. Numa atitude desprezível, os comunicadores trataram as professoras com violência, ataques pessoais e xingamentos aos gritos no estúdio, tendo as mesmas sido impossibilitadas de falar. A entrevista foi encerrada e as professoras foram colocadas para fora da rádio.

Nos solidarizamos com as professoras Elenilda e Greissy e todas que integram essa categoria, e esperamos que a direção da rádio tome providências relativas a tais comunicadores. A Rádio Clube, por ser um veículo histórico, tem a sua importância e credibilidade construída tanto ao lado do público quanto com seus anunciantes. Porém, a postura que esses comunicadores se acostumaram a tomar em seus microfones não coadunam com os valores de uma sociedade democrática. Assim, é preciso mobilizar a sociedade em torno deste episódio, tornando um grande exemplo de falta de respeito aos direitos coletivos (especialmente das mulheres), à liberdade de expressão e à democracia.

Assinam este documento: Mário Bittencourt – Jornalista DRT/BA 2982; Aline Ferraz – Jornalista DRT/BA 2911; Victoria Lôbo – Jornalista DRT/BA 6191; Raíssa Novais – Jornalista DRT/BA 5538; Carmen Carvalho DRT/RR 105 | Profa. Curso de Jornalismo – Uesb; Karina Costa – Jornalista DRT/BA 6208; Afonso Ribas – Jornalista DRT/BA 6214; Gabriela Couto – Jornalista DRT/BA 5172; Joana Rocha – Jornalista DRT/BA 3356; Rafael Flores – Jornalista DRT/BA 5159; Jacqueline Silva – Jornalista DRT/BA 4540; Alexya Amorim – Recém-formada em Comunicação Social – Jornalismo | Uesb; Leila Costa – Recém-formada em Jornalismo | Uesb; Rhaic Piancó – Recém-formado em Comunicação Social – Jornalismo | Uesb; Jade Dias – Recém-formada em Jornalismo | Uesb; Giulia Santana – Jornalista DRT/BA 6331; Marcéu de Sousa – Jornalista; Ailton Fernandes – Jornalista DRT/BA 3456; Luiz Pedro Passos – Jornalista; Karen Gabriele Vieira Silva – Jornalista; Mariana Lacerda – Jornalista DRT/BA 4154; José Amorim da Silva Filho – Jornalista DRT/BA-2431; Aline Luz – Jornalista DRT/MG 09686; Dannilo Duarte – DRT/BA 2382 – Coord. Curso de Jornalismo – Uesb; Rubens Jesus Sampaio – Prof. Jornalismo Uesb; Ana Paula Marques – Jornalista DRT/BA 6148; Lays Macedo – Jornalista DRT/BA 4656; Manuela Scipioni- Jornalista DRT/BA 6161; Júnior Novaes – Jornalista DRT/BA 6592; John Ferraz – Recém-formado em Jornalismo; Kourosh Jean Naghibi Paul – recém-formado em Jornalismo; Tainara Menezes Santos – recém-formada em Jornalismo; Mário Ribeiro – Jornalista DRT/BA 5107; Isaac Gregório – Jornalista; Tiago Henrique – Jornalista DRT/BA 3830; Luciana Oliveira – Jornalista DRT/BA 4961; Fabrício Gama – Jornalista SURTE; Gabriel Pires – Recém-formado Jornalismo Uesb; Giovanna Paciullo – recém formada em jornalismo na UESB.; Juscelino Souza – Jornalista – Registro Profissional DRT/BA 5735.

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Uma resposta para “Jornalistas repudiam comunicadores da Rádio Clube FM após ofensas ao vivo a professoras”

  1. Carlos Antonio Menezes disse:

    A Radio Clube demorou em tomar a atitude correta que era punir os apresentadores declaradamente de extrema direita e a serviço do bolsonarismo, essa seita edionda e disseminadora de fake news.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.