Editorial | Se LGBTfobia é crime, por que pessoas se sentem seguras em disseminar o ódio?

Por - 28 de junho de 2022

Neste 28 de junho, o Conquista Repórter reitera que celebrar Orgulho LGBTQUIAP+ é um ato de resistência.

28 de junho de 2022. Chegamos a mais um Dia do Orgulho LGBTQIAP+ e precisamos conversar sobre ser o que somos em uma sociedade intolerante, conservadora e mal educada.

Ainda hoje, temos uma educação essencialmente cristã, com resquícios das aulas de “Religião”, com pessoas doutrinadas desde muito pequenas a terem medo de tudo, visto que fugir das regras do patriarcado é considerado pecado. Viralizam vídeos de pessoas dizendo que amar levará a comunidade LGBTQIAP+ para o inferno, ao mesmo tempo em que pregam que Deus é amor. Que Deus é esse?

A luta pelo poder tem deixado milhares de corpos mortos e o único intuito é prevalecer opiniões preconceituosas e mostrar que só têm sucesso aqueles que as seguem, acreditam e se alienam. Por outro lado, não existe proteção do Estado para todos os cidadãos e cidadãs, como afirma a Constituição Federal de 1988.

A vida, o maior direito de todos, não é preservada. Em 2021, foram registradas 316 mortes violentas de pessoas LGBTQIAP+, de acordo com levantamento do “Observatório de Mortes e Violências contra LGBTI+”. A violência também está nos dados, visto que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), apenas 1,9% da população brasileira com mais de 18 anos se identifica como homossexual ou bissexual.

Isso reitera o quanto o medo está envolvido na vida de pessoas da comunidade. Medo de se reconhecer e ser reconhecido oficialmente, já que isso coloca suas vidas em jogo. Apesar de a LGBTfobia ser crime, ao ser enquadrada na Lei do Racismo nº 7.716/89, em 2019, ainda existe uma grande dificuldade em julgar e criminalizar os agressores.

O que significa que as vítimas continuam sofrendo punições pelo julgamento social, o tribunal religioso e intolerante, enquanto os agressores seguem resguardados. Se LGBTfobia é crime, por que as pessoas se sentem seguras em disseminar ódio disfarçado de opinião?

Neste Dia do Orgulho, devemos nos orgulhar de uma comunidade que luta para viver, ser o que se é, mas compreender que não temos uma sociedade que auxilia nessa vivência. A luta, infelizmente, é constante e diária e o medo também. Por isso, o Conquista Repórter se pronuncia, posiciona e reitera que o jornalismo é fundamental para a garantia dos direitos de todos, todas e todes.

LGBTfobia é crime e este é um espaço de denúncia e resistência!

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.