Mais de 70 pessoas receberam dose vencida de vacina contra a covid-19 em Conquista, aponta reportagem da Folha

Por - 2 de julho de 2021

Em todo o Brasil, cerca de 26 mil pessoas tomaram doses da AstraZeneca fora do prazo de validade; A denúncia foi publicada pelo jornal nesta sexta-feira, 2, a partir da divulgação de registros oficiais do Ministério da Saúde

Vitória da Conquista está entre os 1.532 municípios do país onde foram aplicadas doses vencidas de oito diferentes lotes da vacina AstraZeneca. Quase 26 mil brasileiros, dos quais 76 são moradores da cidade, receberam, até o dia 19 de junho, imunizantes com o prazo de validade expirado. Os dados constam em registros oficiais do Ministério da Saúde e foram divulgados pelo jornal Folha de São Paulo nesta sexta-feira, 2.

No ranking das cidades com mais aplicações de doses vencidas, Conquista ocupa a posição de nº 45, atrás de outros dois municípios baianos: Itabuna (41º), onde foram aplicadas 78 doses; e Salvador, que ocupa o 5º lugar. Na capital do estado, 824 pessoas tomaram a vacina vencida. A lista é liderada por Maringá – PR, que recebeu 3.536 doses, ficando à frente de cidades como Belém – PA (2º) e São Paulo – SP (3º). Outros 113 municípios da Bahia receberam lotes com o produto da AstraZeneca fora da validade.

*Até 19.jun Fontes: DataSUS, Sage (Sala de Apoio à Gestão Estratégica) e Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19. Reprodução: Folha de S. Paulo.

A Folha também informou que outras 114 mil doses da vacina AstraZeneca das quais foram distribuídas a estados e municípios dentro do prazo de validade já expiraram, e destacou não estar claro se elas foram descartadas ou se continuam sendo aplicadas. Ainda de acordo com o jornal, 70% das doses vencidas que foram aplicadas pertencem a um mesmo lote, identificado como 4120Z005. Os imunizantes venceram em 14 de abril, mas continuaram sendo aplicados depois dessa data pelo país. Todas as 76 aplicadas em Conquista fazem parte dele.

Todas as 76 vacinas vencidas aplicadas em Conquista fazem parte do mesmo lote, o 4120Z005. Reprodução: Folha de S. Paulo.

O lote da AstraZeneca que venceu há menos tempo estava válido até 4 de junho. Quem recebeu a dose vencida de um dos oito lotes deve procurar um posto de saúde com sua carteira de vacinação para registrar o erro vacinal e receber orientações. Já o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19 estabelece que quem tomou imunizante vencido precisa se revacinar pelo menos 28 dias depois de ter recebido a dose administrada equivocadamente. Até o fechamento desta matéria, a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista não se posicionou sobre o assunto.

ATUALIZAÇÃO:

Após a publicação desta matéria, a Secretaria Municipal de Saúde emitiu nota na qual afirma que não aplicou doses da AstraZeneca fora do prazo de validade. Veja na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclarece que o lote de vacinas Astra Zeneca/Oxford de número 4120Z – 005, com vencimento em 14 de abril de 2021, foi recebido em Vitória da Conquista no dia 24 de janeiro, tendo sido utilizado antes do vencimento.

Ainda assim, a SMS orienta que, para tirar a dúvida, as pessoas confiram no cartão de vacinação o número do lote e a data em que foram vacinadas.

A Diretora de Vigilância em Saúde da SMS, Ana Maria Ferraz, informa que está sendo averiguado o porquê de o lote mencionado ainda constar no sistema.

Secom, 2 de julho de 2021

*Foto de capa: Pixabay

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.