Falta de auxílio à horta comunitária do Vila América prejudica moradores do bairro que vivem da agricultura familiar

Por - 20 de janeiro de 2022

Aquisição de adubo orgânico e controle de erva daninha são as principais necessidades apontadas por agricultores que atuam no espaço. Sem alternativas, eles cobram apoio mais efetivo da Prefeitura Municipal, que é parceira do projeto.

Fonte de sustento para mais de 30 famílias do Vila América, a horta comunitária do bairro é uma das quatro de Vitória da Conquista que, desde sua fundação, conta com a parceria da Prefeitura, através da Coordenação de Segurança Alimentar da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes). Entretanto, nos últimos meses, a sensação de quem trabalha com a produção agroecológica no local é de que o espaço está desassistido pela atual gestão, que deveria atender de forma regular às demandas de manutenção da unidade.

Segundo a moradora Ana Lúcia dos Santos, que faz parte da coordenação do projeto, a horta está “quase parando de funcionar”. Um dos principais motivos é a dificuldade que os agricultores da comunidade têm enfrentado para adquirir adubo orgânico para utilizar nas plantações, que são livres de agrotóxicos e de quaisquer outros produtos químicos.

Antes, de acordo com a coordenadora, os agricultores tinham mais apoio da gestão municipal, que costumava fornecer esterco para adubagem. “Era até mais fácil conseguir carros para pegar adubo em alguns locais da cidade, principalmente quando não achávamos para comprar a um preço acessível. E hoje a gente tem muita dificuldade com relação a isso”, desabafa Ana Lúcia. 

O crescimento de uma espécie de capim em boa parte do espaço ocupado pela horta é outro problema enfrentado, atualmente, pelas famílias que tiram dela o seu sustento. A erva daninha tem avançado pelo terreno, sobretudo após as fortes chuvas que atingiram Vitória da Conquista em dezembro. 

Por se tratar de uma produção orgânica, a comunidade não pode utilizar herbicidas no local, sendo necessário, portanto, a limpeza recorrente do espaço. “A Prefeitura já mandou um agrônomo aqui, mas não deu jeito. E aí a gente acaba perdendo mais tempo cuidando do capim do que da própria plantação”, explica Ana Lúcia. Nem mesmo a limpeza da área externa da horta tem sido realizada pela gestão municipal, segundo a moradora.

Essa não é a primeira vez que os moradores do Vila América enfrentam dificuldades para a manutenção da horta comunitária. Entre 2016 e 2017, ela ficou sete meses parada por conta da quebra do seu padrão de energia, o que havia ocasionado a falta de água para a irrigação das plantas. Na época, o problema foi resolvido pelo governo municipal, devido à parceria construída com a comunidade para garantir a manutenção e o pleno funcionamento da unidade. 

A agricultora Ana Lúcia dos Santos atua na horta comunitária do Vila América desde que a unidade foi fundada, há 17 anos. Foto: Secom/PMVC.

“Um verdadeiro bem social”

A horta existe desde 2005 e ocupa uma área cedida pela Prefeitura com 4,2 mil metros quadrados. Além disso, conta com um poço artesiano para uso exclusivo dos agricultores. Inicialmente, de acordo com Ana Lúcia, eram 47 famílias cadastradas no projeto. Todas aquelas que continuam trabalhando na unidade, atualmente, “são famílias que realmente precisam e que gostam de trabalhar com a terra”, diz a coordenadora. E acrescenta: “o espaço que cada uma tem é suficiente para garantir sua renda”. 

Ainda assim, alguns dos moradores, como a própria Ana Lúcia, conciliam o trabalho na horta com outra função. Ela relata que as hortaliças costumam ser comercializadas na feira do próprio bairro e também são utilizadas para consumo das famílias. 

“Pra mim, a horta é um verdadeiro bem social para a comunidade do Vila América. É até mesmo um espaço de lazer pra gente. Lá, nós nos divertimos trabalhando, pois todo mundo sente prazer de estar ali. Ter uma horta com produtos 100% orgânicos é fantástico. Então, a gente não pode perdê-la”, conclui. 

Por e-mail, o Conquista Repórter pediu esclarecimentos da Prefeitura acerca das queixas relatadas na matéria. Confira a nota enviada pela Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) à nossa redação na manhã desta sexta-feira, 21:

Nota ao Conquista Repórter

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), por meio da coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional, informa que a Prefeitura apoia e incentiva a produção de alimentos de qualidade nas quatro hortas comunitárias do município.

Quanto ao capim que está proliferando no local, já foi solicitada uma orientação técnica para verificar o problema.

Em relação à falta do insumo “adubo”, as chuvas inviabilizaram o fornecimento do material e a coordenação aguarda o esterco secar para fazer o transporte para a horta.

Além disso, há uma parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SMDR) que designou um técnico para acompanhar as hortas, mas, por conta das fortes chuvas, que demandaram atenção técnica e estrutural de emergência para atender à população atingida pelas chuvas, houve a suspensão no atendimento das hortas. O retorno do atendimento técnico nesses locais será reiniciado na próxima quinta-feira (27).

Secom, 21 de janeiro de 2021.

Foto de capa: Secom/PMVC.

*Matéria atualizada às 10h50 de 21/01/2021.

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.