Editorial | O abandono do bairro Lagoa das Flores pelo Poder Público

Por - 10 de junho de 2024

Há décadas os moradores reivindicam o básico: pavimentação asfáltica e uma rede de esgoto adequada. Situada numa área afastada da região central da cidade, a comunidade é negligenciada pela gestão municipal.

Era 16 de dezembro de 2021 quando o Conquista Repórter denunciou pela primeira vez os transtornos que as fortes chuvas causam no bairro Lagoa das Flores, situado quase na zona rural de Vitória da Conquista. À época, todo o estado da Bahia sofreu com as enchentes que deixaram muitas famílias desabrigadas. Mas naquela localidade, a situação se agravou ainda mais porque falta pavimentação asfáltica e uma rede de esgoto adequada.

Parece que os quase 10km que afastam o bairro da área central do município também afastam a atenção da Prefeitura para o local. Três anos após as enchentes, os moradores daquela comunidade ainda gritam as mesmas reivindicações: asfalto e a implementação de sistemas de drenagem. Há décadas as pessoas convivem com poeira, buracos, poços de lama, mau cheiro de esgoto, e verdadeiros rios que se formam quando ocorrem os fortes temporais. 

O acesso ao saneamento básico é assegurado pelo direito à dignidade da pessoa humana, previsto no art.1º, inciso III, da Constituição Federal. Mas em Vitória da Conquista, quanto mais marginalizado é o cidadão, inclusive por questões geográficas, menos dignidade ele tem acesso. É como se ao ultrapassar as regiões centrais da cidade, as pessoas deixassem de existir e, assim, sua dignidade também desaparecesse. 

Toneladas de doações para os brasileiros atingidos pelas chuvas no Rio Grande do Sul partiram de Vitória da Conquista, mas aqueles que sofreram com os mesmos problemas dentro do próprio município foram esquecidos poucos meses depois. Pessoas voltaram para suas casas parcialmente destruídas ou vivem em abrigos que tiveram que ser transformados em casas.

O município necessita urgentemente de um plano para as mudanças climáticas, tendo como observância que chuvas com poucos milímetros de água já causam grande impacto para os cidadãos. Mas para além disso, causam impactos irreversíveis para as pessoas pobres. 

Porém, se pensarmos novamente sobre a situação do bairro Lagoa das Flores, que mesmo com os gritos abafados dos moradores não teve resolução, Vitória da Conquista, antes de qualquer outra coisa, precisa resolver os problemas que afetam o oferecimento de direitos básicos. Saneamento básico é questão de saúde, de moradia, e essa resolução é urgente.

Foto de capa: Betânia Nolasco.


Importante: Você pode ler este texto em primeira mão assinando a nossa newsletter, onde publicamos os editoriais do Conquista Repórter. A “Nossa Semana” chega aos sábados, sempre às 8h, no e-mail dos nossos assinantes. Clique aqui e se inscreva para receber!

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.