Conquistenses se queixam de atrasos e falta de organização em fila da vacinação infantil contra a covid-19

Por - 26 de janeiro de 2022

Na unidade de saúde do Vila América, pais e crianças esperaram mais de 2 horas até o início da imunização nesta quarta, 26.

Desde o dia 17 de janeiro, acontece a imunização infantil contra a covid-19 em Vitória da Conquista. Mas apesar da Prefeitura informar que a vacina começa a ser aplicada a partir das 8h em unidades de saúde do município, no posto do bairro Vila América, as doses só chegaram por volta das 9h40 desta quarta-feira, 26. Às 10h, o atendimento aos pais e crianças nem sequer tinha sido iniciado, de acordo com relato da professora Adriana Amorim, que levou seu filho, Raul, de 7 anos, para receber a primeira aplicação.

Ainda segundo ela, nesse intervalo de duas horas em que permaneceu na fila de espera da vacinação, não distribuíram senhas, não verificaram a documentação exigida para a imunização e nem deram qualquer tipo de assistência aos pais e crianças presentes. “Pedi pra o funcionário ir verificando a documentação, caso alguém precisasse ir em casa buscar, ou, se não estivesse na data (idade) certa, pra não perder tempo na fila. Ele me olhou com cara de poucos amigos, disse que depois fazia isso, mas não fez até agora [9h47]”, contou Adriana à nossa reportagem.

A demora para iniciar a aplicação da vacina causou a formação de uma longa fila na unidade de saúde. Como o estoque de doses era limitado, nem todos conseguiram ser atendidos no período da manhã. Cerca de 30 crianças, de acordo com a professora, precisaram retornar à tarde para se imunizar. Algumas reclamações a respeito da vacinação no posto do Vila América também foram feitas por munícipes no perfil oficial do Executivo no Instagram.

“Que desorganização da Prefeitura. Fila no sol… Espera de 3 horas e saímos sem vacina. Encerrou às 12h. Um absurdo! Deveriam ter distribuído fichas”, comentou uma internauta em uma publicação. Em outro post, um morador disse que tem faltado doses em várias unidades de saúde. “Uma dose de honestidade vai bem”, ironizou. As principais queixas são em torno da logística de imunização. Mas há também municípes que relatam não ter enfrentado problemas ou transtornos ao levar seus filhos para vacinar. “No posto [da] Régis Pacheco tá tranquilo, cheguei lá 7h30, só tinha 6 crianças aguardando. Equipe muito atenciosa e educada”, disse uma usuária da rede social.

Mesmo com o estresse causado pela desorganização inicial e pela longa espera na fila da vacinação infantil, a professora Adriana ressaltou que, após ela e seu filho serem atendidos, tudo transcorreu de forma muito positiva. Isso mostra, segundo ela, que os problemas relatados são decorrentes de uma má gestão da Saúde do município e não da equipe do posto em si. “O sentimento que fica quando tudo acaba é de extrema gratidão pela equipe. São pessoas que estão salvando a vida da gente e dos nossos filhos”, disse.

Por e-mail, nossa reportagem solicitou esclarecimentos da Prefeitura sobre a logística de distribuição das vacinas para o público infantil e questionou a demora para o início da aplicação dos imunizantes na unidade de saúde do bairro Vila América. Até a publicação desta matéria, não fomos respondidos.

Foto de capa: Adriana Amorim

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.