Ações de prevenção ao câncer de próstata reforçam importância do Novembro Azul para a população conquistense

Por - 25 de novembro de 2021

De acordo com a Prefeitura, o grande dia D de mobilização da campanha no município ocorre nesta sexta-feira, 26. Ao longo deste mês, foi ampliada a oferta de exames preventivos na rede básica de atenção à saúde.

Combater os estigmas em torno do exame de próstata e incentivar mais homens a cuidarem da sua saúde. Esses são os principais objetivos do Novembro Azul, campanha promovida anualmente em todo o mundo para prevenir o câncer de próstata. De acordo com especialistas, essa é a segunda doença que mais mata a população masculina. Mas é importante destacar que ela também pode atingir pessoas não-binárias, mulheres trans e travestis.

Em Vitória da Conquista, desde o início do mês, as unidades de atenção básica à saúde aumentaram a oferta das coletas de sangue para o exame de PSA (Antígeno Prostático Específico), que é uma das formas de diagnóstico utilizadas para detecção precoce do câncer de próstata. Além disso, juntamente com hospitais e outras instituições, vêm sendo realizados dias D da campanha para mobilizar e conscientizar os moradores da cidade em torno do assunto.

O grande dia D de mobilização promovido pela Prefeitura Municipal acontece nesta sexta-feira, 26, com uma atividade envolvendo funcionários da Emurc (Empresa Municipal de Urbanização de Vitória da Conquista). Já no sábado, 27, postos de saúde da cidade farão seus próprios dias D da campanha, com a oferta de atendimentos, orientações e a realização de palestras educativas.

Outras ações do Novembro Azul foram promovidas pelo Executivo no Conjunto Penal, no Hospital Esaú Matos e na Clínica Municipal de Reabilitação Sebastião Castro. A Câmara Municipal de Vereadores, por sua vez, realizou uma sessão especial sobre a importância da campanha, no último dia 19, por iniciativa do mandato do vereador Luciano Gomes (PCdoB). 

Atendimento a paciente durante ação do Novembro Azul na Clínica Municipal de Reabilitação Sebastião Castro. Foto: Secom/PMVC.

Na oportunidade, alguns vereadores destacaram a necessidade de fortalecer o SUS (Sistema Único de Saúde) e de dar maior atenção a populações marginalizadas que estão entre as principais vítimas do câncer de próstata por conta das dificuldades de acesso à saúde pública, como os negros e os moradores da zona rural. “Faço um apelo à nossa secretária [municipal de Saúde, Ramona Cerqueira], que olhe mais os pedidos dos cidadãos da zona rural”, disse o vereador Edjaime Bibia (MDB), pois, segundo ele, muitos não têm como pagar para fazer o tratamento da doença.

Alexandre Xandó (PT) destacou que pessoas negras têm o dobro de chances de desenvolver o câncer de próstata em relação a brancos. De acordo com o parlamentar, o debate em torno do assunto precisa incluir os recortes de raça, gênero e classe, o que não costuma acontecer nas campanhas do município e do Brasil como um todo. 

A necessidade do cuidado preventivo

Para o Dr. Klécius Aguiar, oncologista do Instituto Conquistense de Oncologia (Icon), a campanha se faz necessária, anualmente, para aumentar a possibilidade de se diagnosticar precocemente a doença, já que, com isso, as chances de cura chegam a 90%. “Quando a gente não faz a campanha, às vezes fica aquele probleminha ali guardado e a pessoa não se dá conta ou não vai atrás da resolução do problema. Então a intenção é limitar os riscos”, explica.

O principal fator de risco para o câncer de próstata é a idade. “Acontece mais comumente em pacientes mais idosos, mas outros fatores como histórico familiar, obesidade, sedentarismo e tabagismo também aumentam o risco”, acrescenta Dr. Klécius. Por isso, os exames preventivos precisam ser feitos, regularmente, a partir dos 40 anos. 

O oncologista ressalta que o Novembro Azul não diminui a possibilidade das pessoas contraírem a doença. A campanha serve para diagnosticá-la e evitar que seja tratada tardiamente. “A gente insiste que o câncer de próstata não é brincadeira, pois tem ainda uma alta taxa de mortalidade. São 66 mil casos por ano”, destaca. 

Dr. Klécius Aguiar: “A gente insiste que o câncer de próstata não é brincadeira, pois tem ainda uma alta taxa de mortalidade”. Foto: Conquista Repórter.

Dos 16 mil óbitos ocorridos em todo o Brasil por essa causa em 2020, 1.367 ocorreram na Bahia, segundo o Atlas de Mortalidade por câncer. Neste ano, o estado aparece em quarto lugar entre as unidades da federação com o maior número de casos, com 6.130 ocorrências até o mês de setembro.

Foto de capa: Secom/PMVC

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.