Hardcore da Dona Iracema e som de Maglore marcam abertura do Festival Suíça Bahiana

Por - 14 de outubro de 2023

A programação do sábado, 14, contou com apresentações de DJs e artistas regionais, na concha acústica do Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima.

Música, arte e valorização da cena cultural regional são os elementos que movem a realização do Festival Suíça Bahiana (FSB). A nona edição do evento teve início neste sábado, 14, na concha acústica do Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima. Com artistas de Vitória da Conquista, Salvador e outros municípios baianos, a primeira noite foi encerrada com a aguardada apresentação de Maglore, e foi marcada também pelo show eletrizante da Dona Iracema, que mistura hardcore e elementos do baião e forró.

O primeiro dia do FSB 2023 começou ainda no início da tarde, por volta das 14h, com o setlist do DJ BigBross. Cerca de uma hora depois, a banda Hotel Mambembe subiu ao palco com Ítalo Silva no vocal. Os artistas apresentaram um show com músicas autorais de Euri Meira, um dos integrantes do grupo, além de grandes sucessos da Música Popular Brasileira (MPB).

Conhecido do público conquistense, Hotel Mambembe fez as pessoas cantarem ao som de canções como “Mania de Você”, de Rita Lee, “Odara”, de Caetano Veloso, e “Ando Meio Desligado”, do grupo Os Mutantes. A banda encerrou o show com uma interpretação de “Tigresa”, com Ítalo dedicando a música às mulheres vítimas de violência e do machismo.

Com mais de 20 anos de estrada, a banda soteropolitana Retrofoguetes fez o instrumental brilhar dando destaque para as guitarras, a bateria e muito rock n’roll. Além disso, o trio contou com a participação de Nancy Viegas, que animou o público com uma performance irreverente e interpretação de canções internacionais, como “These Boots are Made for Walkin”, de Nancy Sinatra.

O Caatincore Iracemático e o retorno de Maglore a Conquista

Por volta das 18h, foi a vez da DJ Tieta ocupar o palco principal do FSB. Artistas nacionais como Marina Sena, BaianaSystem e ÀTTOOXXÁ fizeram parte da playlist da produtora cultural. Na sequência, foi o caatincore iracemático da banda Dona Iracema que tomou conta da concha acústica do Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima.

A vocalista Balaio entrou no palco com o som político, autêntico e irreverente caraterística da banda, que mistura rock e elementos do baião, forró e axé. Os artistas conquistenses são veteranos no Festival Suíça Bahiana. Inclusive, lançaram o EP “Caatincore Iracemático” na edição de 2017 do evento.

“Infelizmente o mundo da música é muito tomado pelo mainstream, e festivais como esse possibilitam que a gente que está no underground mostre o nosso trabalho suado. Isso é de grande valor porque nós somos classe trabalhadora”, afirmou Balaio, vocalista da Dona Iracema.

A apresentação contou ainda com as participações de Nancy Viegas e Nem Tosco Todo. Um dos principais nomes do rock baiano, Nancy voltou ao palco para cantar “Tô no Cid”, presente no álbum Balbúrdia da Dona Iracema, de 2019. Canções do trabalho “Velório”, de 2021, também entraram na setlist do show, como os versos de “Estatística”.

A interação da vocalista Balaio com a intérprete de Libras, Jaqueline França, também marcou o show. Além disso, quem se divertiu foram os fãs que puderam fazer uma roda com a cantora, pulando muito ao som do rock hardcore. Dona Iracema anunciou ainda o lançamento de um novo álbum em breve.

“Esse é o nosso melhor disco, o nosso trabalho mais maduro e feito de maneira mais coletiva, e isso faz toda a diferença. Fazer arte coletivamente é a melhor coisa do mundo”, disse a vocalista Balaio.

Depois de cinco anos sem tocar em Vitória da Conquista, a banda Maglore, de Salvador, voltou à cidade para apresentar o álbum V, lançado em 2022. Formado por Teago Oliveira, Lelo Brandão, Felipe Dieder e Lucas Gonçalves, o grupo já se apresentou em festivais como Lollapalooza Brasil e SXSW, no Texas, nos Estados Unidos.

Uma das atrações mais aguardadas da noite, a banda entrou no palco às 20h30 e fez o público cantar junto diversas músicas, como “Às Vezes Um Clichê”, “Ai Ai” e “A Vida é uma Aventura”. O primeiro dia de Festival Suíça Bahiana 2023 se encerrou com a concha acústica do Centro de Cultura lotada.

Gosta do nosso trabalho? Então considere apoiar o Conquista Repórter. Doe qualquer valor pela chave PIX 77999214805 ou assine a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse. Assim, você nos ajuda a fortalecer o jornalismo independente que Vitória da Conquista precisa e merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • some
  • Somos uma organização de mídia independente que produz jornalismo local em defesa dos direitos humanos e da democracia no sertão baiano.
  • Apoie

© 2021-2024 | Conquista Repórter. Todos os direitos reservados.